Consumismo desenfreado: Desabafo

Não sei ao certo o tipo de sentimento que tive hoje ao ler uma matéria relacionada ao consumismo. Postarei um trecho da entrevista assim como o link logo mais.

42-23887070

 

Antes quero relatar que já fui consumista ao extremo, sei bem o que é não ter limites, que fique claro que não sou contra ou inimiga de quem gasta fortunas diariamente comprado suas bolsas, sapato e makeup grifados. Ok, se você tem dinheiro para isso, eu fico feliz, acredito que seja muito bom ter tudo aquilo que deseja sem se preocupar com o amanhã. Tenho consciência também de que essa, não é a realidade da maioria da população brasileira, mesmo o Brasil vivendo um “boom” de evolução das classes sociais, onde pela primeira vez na história, a classe média é majoritária no País.

42-20522208

 

A verdade é que a nossa principal identidade passou a ser de consumidores, não de professores, jornalistas, médicos, administradores, mães etc. O nosso valor passou a ser medido pelo que contribuímos/gastamos, usamos, freqüentamos e principalmente o quanto consumimos! Não estou criticando seu modo de gastar e tão pouco querendo ensinar você como torrar seu dindim ok?

Porém é sempre bom (re) lembrar que refletir o consumismo exagerado é inteligente e necessário!

 

page

 

A maioria dos posts que faço quase que diariamente, são de desejos, desejos esses que dependendo da minha situação se tornarão realidade ou não, mas nem por isso vou me descabelar e tomar 10 comprimidos de sibutramina (rsrs), muito menos disputar a tapas uma peça da C&A by Stella Mccartney ou Cris Barros para Riachuelo! Mas esse é outro assunto, para um próximo post…

42-23647337

Bonitas não queiram ser aquilo que vocês não são, nunca perda a essência feminina, vocês são mulheres muito mais do que um Louboutin nos pés, Chanel nos ombros, Chloé no corpo, claro  que tudo isso é muito bom, mas se o momento não  permite por que se deprimir ou se inferiorizar, afinal será que as vontades que temos realmente nos pertencem?

 

Sem título

Por fim, porém não menos importante, o que acha dessa frase?

Fashion Kids reúne ”socialitezinhas”, matéria na íntegra AQUI

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
64 Respostas to “Consumismo desenfreado: Desabafo”
  1. Kharenn disse:

    Nossa menina!1Adorei o post!!muito bem escrito e pensado!

    Vai na contra mão da maioria dos blogs né…porque querendo ou nãoo..qndo a gente vê um vídeo de comprinhas da vontade de comprar tbm…mesmo que a gente não esteja precisando!!hsuAHSUHashu!!

    beijo!!adorei seu post e seu blog!tô te seguindo!

    tá rolando sorteio lá no blog!! passa láa…
    mocadovestidoderenda.blogspot.com

    Beijo!

    [Reply]

  2. Lola disse:

    Este comentário foi removido pelo autor.

    [Reply]

  3. Lola disse:

    Voltei para dizer que fui ler a matéria que você citou e talvez eu faça uma postagem sobre isso, disse talvez, pois ainda estou pensando se vale dar ibope pra esse tipo de gente, ou falar sobre o assunto sem fazer isso. Por enquanto, só tenho uma pergunta: _Além da futilidade, alguém reparou a cara de cafona, recalcada e sem sal de alguma mãe daquela foto? Eu achei 4!

    Beijoka!

    [Reply]

  4. Modacap Lili, é isso mesmo?? aonde??

    [Reply]

  5. Teca disse:

    Tenho sido meio consumista ultimamente… pensar nisso é sempre bom! A gente vale o q a gente é, não o q a gente compra, né? Ao menos deveria ser assim….
    Bjão

    [Reply]

  6. Oi Querida!
    Obrigada pela visita lá no meu Trésors, volte quando quiser.
    Acredito que o que vale é o que somos e não o que temos.
    Beijinhos

    [Reply]

  7. Oi Lili, voltei pois fui ler a reportagem e fiquei pasma, o que será daquelas crianças quando crescerem, nada nem ninguém irá contentá-las. Que pena isso acontecer, não estou dizendo que não podemos desejar coisas de marca ou caras, mas é preciso ter muito cuidado para não nos tornarmos pessoas superficiais.
    Beijinhos

    [Reply]

  8. Oi querida,
    Passei pra retribuir a visita e tbm dizer que já sou sua seguidora,seu post sobre consumismo é otimo é um assunto muito controverso há quem defenda ou apói a ideia eu adoroooro consumir embora ultimamente tenho que me conter mais tudo bem…Beijossss

    [Reply]

  9. Tem dias que me bate uma vontade louca de sair por aí comprando. Mas quando passa dos limites me tranco em casa, procuro fazer outras coisas. Existe toda a indústria do consumismo.Então é preciso ter equilíbrio pra não cair no desespero.

    BJu!

    http://www.patriciabu.blogspot.com/

    [Reply]

  10. Nossa, não acredito..
    Puxa que pena… E então você gostou?
    Eu amei a palestra..
    Dá próxima vez que me ver, me chama por favor. haha. Vou te seguir lá, me segue também?

    Bacana.
    Beeijos.

    [Reply]

  11. Cintia Branco disse:

    Lili,

    Muito bom o post, li a matéria que a @patrciciadaltro divulgou no twitter no sábado e fique passada. Quem contentará essa criança num futuro próximo? Com valores fúteis, como essas crianças lidarão com os demais não tão afortunados? Isso não é uma forma inteligente de educar e preparar a elite do país, de onde comprovamos que nossa burguesia é burra e fútel.
    Beijos

    [Reply]

  12. Dani ;) disse:

    Doeu fundo agora, floree..
    Sou muuito consumista…moro num país que tudo é de fácil acesso, aqui no Japão vc pode comprar desde um carro maravilhoso, até makes e cremes luxuosos…claro, é caro, mas em compararção com o q ganha aqui, vc consegue se dar ao luxo….é o consumismo japonês, muuuito forte e mais compulsivo, e nos influencia demais!!!

    Com certeza, marca nenhuma faz a pessoa. Vc pode ter um Prada no corpo, mas ser vazia e sem noção por dentro…q adianta?? né?

    Uma pena q os filhos de burguês são ensinados de um jeito super equivocado com respeito a esse estilo de vida…. triste!

    Ótimo post!!!

    Bju no core!!

    Dani do
    http://estacaobeauty4you.blogspot.com/

    [Reply]

  13. Paula Dorsch disse:

    Gostei muito do post.
    Concordo com cada ponto que disse e sinto muito por não sermos reconhecidas pelo que somos, e sim pelo que temos ou que fingimos que temos.
    Sobre o comentário das “socialites”, que bom que elas tem dinheiro para vestir grife nas crianças para dormir, mas sinceramente, a evolução das fast-fashions não tem nada a ver com elas, e sim com o público das marcas que estão cada vez mais informados e buscando peças com qualidade e informação de moda.

    Gostei da suas visitas ao meu blog, ainda não tinha tido tempo de passar aqui mas gostei muito.

    Beijos

    [Reply]

  14. Carina disse:

    Lili,

    obrigada por se tornar seguidora e pelo comentário. É engraçado como uma coisinha tão simples torna meu dia mais feliz. Coisas de blogueira! hehehe

    Agora sobre o seu post… já fui mais consumista, gostava de roupas de grife, perfumes caros, jóias… Estaria mentindo se dissesse que não gosto mais dessas coisas mas hoje sou muito mais consciente do valor do meu dinheiro e priorizo a qualidade do produto, independentemente da etiqueta fixada nele.

    Beijão!

    [Reply]

Deixe um comentário